Um amor chamado próprio!

Tá vendo a moça da foto aí embaixo?

Toda nua, sem make cabelos molhados enrolados na toalha, cara de quem acabou de acordar e tomou aquele banho gelado pra acordar?

Pois bem, essa sou eu.

É meus amigos e amigas, essa sou eu nua e crua, e a foto tirada após uma taça de vinho pra dar coragem é só pra ilustrar o textinho de hoje.

Já parou para se olhar no espelho, mas não pra ver se a roupa tá bonita, olhar mesmo, com cuidado delicadeza, apreciar as estrias, celulites, cicatrizes, olheiras e outras coisinhas?

Só sabemos olhar pra nós com certo desprezo, pensando sempre na opnião alheia, o quanto vão falar da nossa aparência, nossos defeitos, nunca olhamos com cuidado, nunca paramos para nos amar, nos sentir bela independente da ocasião. Nunca conseguimos sentir orgulho de nossas cicatrizes, de como elas contam nossa história, nossas aventuras de infância ou de acontecimentos marcantes.

Quase nunca cuidamos da nossa pele como deveríamos, na maioria das vezes é só hidratar e pronto, quanto dinheiro gastamos em um monte de produtos pra ela e acabam vencendo apenas por preguiça nossa de perder uma meia hora no espelho nos acaraciando?

Quantas vezes deixamos de vestir o que nos faz sentir bem apenas para agradar o coletivo comum, ou então saimos com aquele salto lindo mas sem vergonha, apenas para nos sentirmos mais altas perto dos outros e no fim do dia ficar cheia de dor e bolhas?

Quantas vezes vamos numa academia e perdemos metade do tempo olhando a pessoa ao lado, invejando aquele corpo perfeito, mas quase impossivel de se alcançar?

já parou para pensar no quanto amamos os outros e nos odiamos?

Nos odiamos por estarmos fora de forma, por comer aquele lancher ou beber aquele chopp, com olheiras, celulites, estrias, por estarmos velhas, com algumas rugas?

Devemos quebrar esse círculo vicioso e por mais desafiador que pareça doloroso nos amar, temos de nos esforçar cada dia um pouquinho.

Devemos parar de sentir vergonha de compartilhar nossa realidade, nossa felicidade; pois devemos acima de tudo devemos nos amar.

E como diria Ru Paul:

Eu vou propor o desafio de se cuidar por um tempinho, mas se cuidar mesmo, tiar pelo menos uma hora do dia pra você,

Eu vou fazer o mesmo, pelos próximos dias vou tentar me amar, me cuidar e me olhar com mais carinho, por mais que isso possa doer às vezes.

#ialmostmyself

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *