Tempo

Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver. – Dalai Lama

 

Outro dia apareceu no meu face como lembrança essa foto acompanhada desse poema:

Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial. Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão. Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra diante vai ser diferente”,

E claro, me trouxe lembranças de uma das épocas mais felizes da minha vida, claro que a situação de minha família não era a melhor, meu pai passava quase o mês todo fora a trabalho, então ficávamos apenas eu, minha mãe e meu irmão. Moramos nessa casinha por 3 meses, depois viemos para São Carlos e estamos aqui até hoje. Criamos raízes.

Hoje a casa já não existe mais, e na época da foto já estava bem deteriorada pelo tempo, mas lá em 1992 ela era super charmosa, grande, pintada de verde, era próxima a escola, o que facilitava muito a vida de minha  mãe, que com meu irmão pequeno não precisava sair de casa, bastava me olhar do portão.

Mas a minha maior lembrança é de um cômodo pequeno (Hoje ele se chamaria closet kkk), no qual eu me escondia as vezes e passava grande parte do dia apenas brincando, ou então me escondendo depois de alguma travessura.  E eu me divertia.

As vezes íamos visitar a vovó, uma longa caminhada, mas que valia muito a pena, era tudo muito perto, quando saía pão na padaria, éramos avisados só pelo cheiro gostoso, se a saudade de alguém batia, era só bater no portão da pessoa.

Celular, acho que nem existia, telefone fixo era caríssimo, computador era privilégio para poucos, fotografias eram reveladas, e as cartas eram escritas a mão. Todas as facilidades atuais eram quase inexistentes, e mesmo assim as pessoas eram mais gentis, mais próximas. A vida não era fácil, mas éramos felizes.

Hoje em dia todas as facilidades da tecnologia, acabaram afastando as pessoas fisicamente, não aproveitamos o tempo que temos, os mais velhos, antes fonte de grande sabedoria, hoje estão esquecidos.

As calorosas cartas antes escritas com muito amor, hoje se tornaram frios e-mails, mensagens de Whattsapp, ou outras formas tão geladas quanto.

As animadas conversas no quintal ao fim do dia com cheiro de café e bolo, hoje não acontece se não forem agendadas com meses de antecedência, ninguém mais tem tempo para papo fiado.

As brincadeiras de rua foram substituídas por jogos de videogame, TV, muito em parte graças a violência, ou a falta de paciência dos pais em dedicar um momento do dia para curtir os filhos.

Acordamos na segunda desejando que a semana acabe rápido, e na sexta queremos parar o tempo para curtir o fim de semana, tudo virou um ciclo vicioso. Estamos desejando que o tempo passe tão rápido que nem percebemos as oportunidades que perdemos a nossa volta, não valorizamos as pequenas coisas. Queremos ser grandes, grandiosos, passando por cima de tudo e todos para alcançar objetivos.

Só valorizamos os pequenos detalhes e as pequenas coisas da vida, quando não há mais tempo, ou já é tarde de mais.

Então, valorize o tempo que tem, aproveite os amigos, converse mais, aprecie aquele cafezinho com bolo, curta as pessoas, ame mais e reclame menos, pois o tempo é implacável e ele não perdoa ninguém.

 

Beijokas!!

Até a próxima!!

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *