#Sundayreflections 3 -Qual o preço para nos sentirmos belas?

Sabe aquele dia que acordamos inspiradas, querendo nos sentir bonitas?

Pois então, a beleza sempre cobra um preço, pode ser pequeno ou grande; mas o ideal imaginado e aceito pela sociedade sempre cobra do nosso corpo.

Eu sempre fui a favor do conforto em primeiro lugar, não gosto de nada apertado nem me incomodando, mas outro dia resolvi que queria trabalhar “arrumadinha”.

E lá fui eu…

Como andei perdendo algumas medidas, algumas peças de roupas voltaram a servir, entre elas um jeans e um sutiã estruturado.

Tenho seios grandes, por isso antes de tudo preciso de uma lingerie confortável, mas esse dia resolvi usar o bendito, pra deixar as “coisas no lugar”.

E assim foi, me arrumei todinha as 7:00 da manhã, fui trabalhar e de lá para a aula, ou seja, cheguei mais de 22:00.

Quando fui tomar banho, tomei foi um susto, na altura da cintura, um vergão vermelho enorme dando a volta, o sutiã marcou tanto que as marcas formaram uns caroços que demoraram uns 3 dias para sair. Enfim … um sofrimento desnecesário.

Mas eu queria me sentir somente bonita.

Pra quem??

Eu não sei, acho que para mim mesma ou para qualquer pessoa que eu encontrasse no caminho, queria apenas me sentir confiante.

Mas paguei um preço, fiquei com o corpo todo marcado, dolorido e arrependida de ter aberto mão em prol de certos padrões de beleza.

Isso me lembrou de um ensaio muito interessante Impressions, onde mostra as marcas dos sacrificios feitos em nome da beleza.

No fim das contas depois desse dia doloroso percebi que no fim das contas não vale tanto a pena se sacrificar em nome da beleza, se no fim dia não tem ninguém para cuidar das marcas que ficam, às vezes por hora, às vezes por dias em nossos corpos.

 

Vale a pena refletir sobre né…

 

Beijokas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *