Solidão e Saudade

Hoje acordei melancólica, e lendo um dos meus diários encontrei um texto que reflete bem meu estado de espírito no momento.
     “O que vem a ser solidão? Estar sozinho sem ninguém para compartilhar as alegras a as tristezas, os sucessos e os fracassos? ou então estar rodeados de pessoas e mesmo assim se sentir só? Não se encaixar em nenhum lugar, nenhum grupo. Sinceramente, eu não consigo compreender qual das duas situações é a pior. Se é estar sozinho de fato ou se sentir sozinho mesmo acompanhado.
     Quando se está sozinho sabemos que pode ser passageiro e sempre pode aparecer alguém para acabar com a solidão; mas quando se sente sozinho pode ser pior, pois a pessoa se isola do mundo, vai afastando todos ao seu redor e criando uma bolha onde não cabe ninguém, vive de briga com o mundo até perceber que não tem mais para onde ir e nem onde voltar, fica vivendo de passado, remoendo saudades, destilando veneno, não consegue seguir em frente. Nesse caso sempre vai ter alguém por perto, mas nunca será suficiente para compensar o que se perdeu.
    É que entra a saudade, que também segue por dois caminhos, saudade da pessoa querida que se foi para sempre e a saudade daquele que está longe e por algum motivo os caminhos não se cruzam, seja por puro afastamento ou brigas bobas que acabam virando uma bola de neve. Quando se sente falta de alguém que se foi até se conforma, pois sabe que nada mais pode ser feito a não ser se lembrar dos bons momentos passados juntos e ter a certeza de que foi bom enquanto durou. mas e quando se sente falta da pessoa e não se pode mais procurar. Dizer que sente falta, pedir desculpas ou mesmo desculpar? A dor dessa saudade é tão grande, que ela sempre vem acompanhada da solidão e um vazio enorme que não se sabe o que fazer com ele e que com certeza vai acompanhar por muito tempo.
    Sinceramente essas dores da alma deixam cicatrizes que nem sempre vão se curar completamente e o jeito; se é que existe algum é tentar consertar as coisas ou manter tudo em paz para que se possa seguir em frente sem precisar olhar pelos ombros pra ver se faltou alguma coisa.





Beijos, Mariah


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *