Minha História com a moda

 

Todo mundo tem uma história com a moda, um momento na vida em que a roupa que usou foi importante, marcante. A minha é essa:

Até os 10, 12 anos vestia o que minha mãe mandava, mas amava os vestidos feitos com os tecidos enviados pela vovó, algumas vezes com um sapatinho de boneca ou então aqueles conjuntinhos de bermudinha e camiseta comprados nas famosas baciadas das lojas Pelicano.

Até os 15, aquele combo confortável de camiseta e legging, ou jeans e tênis ou Ked’s (foi um sufoco ganhar um então só usava em raras ocasiões).

Até que conheci meu namorado (atual marido) e foi a primeira vez que me arrumei pra alguém, não pensando somente em mim. Também foi a primeira vez que a roupa me marcou. Eu usava um jeans marrom, uma camiseta polo e o tal Keds e uma mochila branca que não saia das minhas costas, hoje jamais iria encontra-lo assim, mas naquele dia eu me senti linda, confiante, era meu primeiro encontro, e o jeito como ele me olhou me marcou muito.

Já no segundo encontro eu estava com uma baby look de listrinhas rosa e branca e jardineira jeans, ah de havaianas nos pés (aquelas branca de tirar azuis), afinal eu não tinha tantos sapatos quanto hoje.

A partir desse ponto, do meio jeito meio torto passei a me vestir de acordo com que achava que as pessoas gostariam de me ver, afinal até o momento eu era a “moleque da família”.

A primeira vez que usei salto, foi presente de natal do namorado, e eu nao tinha a mínima ideia de como usar.

Minha primeira mini saia foi presente do namorado era verde e combinei com uma regata preta de um tecido mais fino. Essa foi a primeira vez que me senti feminina, uma mulher adulta. Acreditava estar pronta para as minhas escolhas, afinal minha mãe não estava por perto pra opinar e me senti o máximo por ter escolhido sozinha.

Já no primeiro emprego, precisava estar bem arrumada, foi aí que me encantei pela alfaiataria, com meu primeiro salário acabei comprando calças, camisas e blazers, foi uma felicidade só, afinal eu estava parecendo responsável aos olhos dos meus superiores.

Logo que saí desse emprego, passei por um momento turbulento no trabalho, resquicios daquela época ainda me acompanham. Então para aliviar a tensão, eu comprava comprava cada vez mais e sem sentido algum, e isso somado ao fato de que eu estava completamente desleixada com minha aparência, eu era um desastre ambulante, nesse ponto gostar de moda, se tornou um tormento em minha vida.

Até que conheci um anjo, que fez uma limpa na minha imagem e até hoje me ajuda a moldar meu estilo, confesso que ver boa parte do meu armário indo embora, me causou uma dor emocional que achei que nao pudesse sentir.

Ainda guardo algumas peças daquela época, apenas para me lembrar de onde vim.

Um guarda-roupas não é feito apenas de peças boas ou ruins, mas é um baú de memórias, um acervo para que possamos nos lembrar de moments bons ou maus. Pois querendo ou não sempre que pegamos algumas peças nos lembramos de algo que de algum jeito marcou nossa vida.
E você qual sua história com a moda?

E com esse pequeno texto, dou início ao desafio do closet N0??? Pela enésima vez vou tentar rs.

*PS: o texto acima é de minha autoria, por favor não o utilize sem os devidos créditos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *